Bion Consultoria Ambiental realiza visita técnica nos atrativos do Grupo Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata e a Lagoa Misteriosa (Jardim-MS) receberam nos dias 19 a 21 de novembro a visita técnica de integrantes da Bion Consultoria Ambiental, empresa sediada em Bonito.

A visita teve como objetivo confirmar espécies que são consideradas “porta sementes”, identificar novas espécies para compor o viveiro de mudas e apresentar a flora e os tipos de fisionomias ocorrentes nestas áreas aos biólogos do atrativo, Nádia Pisetta e Bruno Rocha.

Durante o primeiro dia, a equipe visitou a trilha de acesso ao passeio de flutuação e também a trilha do passeio a cavalo. “Na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), identificamos espécies com potencial para o viveiro de mudas como louro-mole, açoita-cavalo, aguaí, alecrim, aroeira-branca, bacupari, cerveja-de-pobre, falso-amendoim, faveira, guaçatonga, jatobá-da-mata, mamica-de-porca, maria-mole, marinheiro, pau-terra, peito-de-pomba, pimenta-de-macaco”, disse Nádia.

Já no segundo dia a equipe explorou a área da sede do Recanto Ecológico Rio da Prata onde foram identificadas algumas espécies para produção no viveiro, como periquiteira, sombreiro, ingá-branco e cássia-gigante e também na trilha interpretativa, local este onde foram indicadas árvores para placa como alecrim, bálsamo, “bananinha”, guajuvira, jatobá-mirim, jatobá-da-mata, maria-mole, canela-guaicá, embira-de-sapo.

Na Lagoa Misteriosa encontramos cerca de quatro indivíduos de copaíba, próximo a antiga estrada. Também marcamos para placa na trilha, cumbaru, jatobá-da-mata e pitomba”, revela Nádia.

A Dra. e Bióloga Vivian Baptista Maria, da Bion Consultoria Ambiental, se mostrou muito satisfeita com a visita técnica nos atrativos. “Estes dois dias foram bem gratificantes, pois tive a oportunidade de retornar após 12 anos dos levantamentos florísticos, realizados para compor o Plano de Manejo da RPPN Fazenda Cabeceira do Prata e do Plano de Manejo Espeleológico da Lagoa Misteriosa. Nessas visitas pude verificar que as florestas e o cerrado continuam intactos, muito bem conservados e em pleno desenvolvimento, desempenhando os mais diversos papeis ecológicos e abrigando toda a biodiversidade local”, revela.

Ela acrescenta ainda que “em meu ponto de vista, o local é um dos mais biodiversos e que apresenta os maiores exemplares da região, com espécies centenárias de aroeira, piúva, bálsamo, jatobá-mirim, entre outro”.

Veja as fotos:

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked