Vivência fotográfica é nova opção de atividade no Recanto Ecológico Rio da Prata e na Estância Mimosa

Bonito e região, no Mato Grosso do Sul, possui belezas únicas e paisagens deslumbrantes, muitas delas vistas nos passeios de ecoturismo, percorrendo trilhas, cachoeiras e rios de águas cristalinas do destino.

É com esse cenário que o fotógrafo de natureza e biólogo Daniel De Granville, em parceria com os atrativos turísticos Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim, e a Estância Mimosa Ecoturismo, localizada em Bonito, apresenta uma nova atividade: Vivências Fotográficas.

Participantes terão a oportunidade única de aprender alguns conceitos teóricos básicos sobre fotografia e já praticar no mesmo local. As atividades são feitas em caráter exclusivo, com maior disponibilidade de tempo do que nos passeios normais, permitindo uma experiência mais plena.

Em grupo reduzidos, com até 3 participantes, a Vivência na Estância Mimosa terá duração de 4 horas. O local é rico em fauna e flora e na sede da fazenda será possível fotografar aves, jacarés e outras espécies. As águas cristalinas do rio Mimoso, as formações calcárias e a exuberância da mata preservada chamam atenção dos visitantes e são paisagens ideais para a prática da fotografia.

Já a Vivência Recanto Ecológico Rio da Prata será realizada no passeio de mergulho de cilindro, com até dois participantes. A sensação que se tem ao mergulhar nas águas azuis do Rio da Prata é a de estar voando sobre o fundo do rio acompanhado pela grande diversidade de peixes existentes no local.

Durante o mergulho, os participantes serão acompanhados pelo instrutor e pelo fotógrafo, garantindo que possam explorar as oportunidades fotográficas com mais eficiência e total segurança. Não são necessárias certificação ou experiência prévia em mergulho autônomo.

O que será aprendido

A vivência fotográfica, em ambos atrativos, começa abordando princípios básicos da fotografia em geral e depois é direcionada a técnicas e conceitos específicos da fotografia de natureza. O conteúdo inclui temas como velocidade do obturador, abertura do diafragma, sensibilidade ISO, profundidade de campo, fotometria, compensação de exposição, composição e enquadramento em fotografia de natureza.

Para participar é necessário possuir câmera fotográfica digital e ter proteção para uso debaixo d’água (caixa ou bolsa estanque).

Agendamentos

Ficou interessado? Os agendamentos para as Vivências Fotográficas Estância Mimosa e Recanto Ecológico Rio da Prata podem ser feitas pelo telefone (67) 3255 3197 | WHATSAPP: (67) 9 9991 3565 | E-mail: pin@photoinnatur.com .

Onça-parda e jaguatirica são alguns dos registros da armadilha fotográfica no Recanto Ecológico Rio da Prata

Onça-parda, Anta, Jaguatirica, Lobinho, Tamanduá-bandeira, Irara e Tatu-Galinha foram as espécies flagradas pela armadilha fotográfica no Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS).

Desde 2011, o atrativo utiliza o equipamento para realizar o monitoramento ambiental e o diagnóstico das espécies, instalados em diferentes pontos da fazenda! ⠀

O resultado: cenas lindas e inusitadas da fauna que temos o prazer em compartilhar com todos vocês. Veja abaixo:⠀
⠀⠀

Deck Submerso no Recanto Ecológico Rio da Prata – 22 de Janeiro de 2021

Que incrível! Olha só como está o deque do Vulcão no Recanto Ecológico Rio da Prata nesta sexta-feira, 22 de janeiro. A cheia no rio Olho D’Água nos presentou novamente com belas imagens na qual mostra o deck submerso pelas águas cristalinas do atrativo!

Esse cenário é reflexo da sua mata ciliar conservada e por estar dentro de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN, um tipo de Unidade de Conservação.⠀

Quando chove muito, o rio da Prata enche, ocasionando o represamento e aumentando assim o nível de água do rio Olho D’Água. É um episódio raro,!!

Mas por que as águas continuam tão cristalinas?

O rio Olho D’Água, onde acontece o passeio de trilha e flutuação, só se mantém cristalino devido à preservação das suas matas ciliares mostrando o quão importante é a implantação das Unidades de Conservação como a Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN, no qual o atrativo está inserido.

Quando estas matas são mantidas, há menos erosão nas margens e consequentemente menor carreamento e deposição de sedimentos nas águas. Por isso, mesmo diante de enchentes e chuvas fortes, a água do rio Olho D’água permaneceu tão transparente.

Vídeo: Colaborador Fernando Maidana

Recanto Ecológico Rio da Prata doa 162 mudas para Instituto Homem Pantaneiro

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 13 de janeiro a visita de Sérgio Barreto, do Instituto Homem Pantaneiro (IHP) – ONG que atua na preservação e recuperação do Pantanal.

O atrativo realizou a doação de 162 mudas nativas do viveiro de mudas, que serão utilizadas em uma ação de educação ambiental com a população ribeirinha da Serra do Amolar, região afetada pelos incêndios no ano passado.

Com essas mudas vamos iniciar o processo de regeneração da área e realizar também o replantio para a reestruturação de alguns ambientes“, disse Sérgio.

As espécies doadas foram: Tucaneira (18), Pororoca (12), Ipê roxo (12), Mamão (54), Jaracatiá (18), Sagra d’água (18), Embaúba (18) e Ingá vera (12).

Sérgio Barreto ao lado de Waldemilson e Bruna, colaboradores do Recanto Ecológico Rio da Prata.

Presidente da ALMS visita escritório do Grupo Rio da Prata

Eduardo Coelho, Diretor do Grupo Rio da Prata (leia-se Estância Mimosa Ecoturismo, Lagoa Misteriosa e recanto Ecológico Rio da Prata) recebeu na manhã desta sexta-feira (8) a visita do Deputado Estadual e Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS), Paulo Corrêa.

Deputado estadual Paulo Corrêa e Eduardo Coelho.

O parlamentar é autor da Lei Nº 2.871, conhecida como Lei das Águas Cristalinas e em vigor há 21 anos. A lei define uma faixa de proteção especial de 300 metros de largura, 150 para cada lado da margem dos rios da Pratas, Formoso e afluentes. Nessas faixas, são proibidas atividades de agricultura, extração de madeira, indústria, extração mineral e até mesmo a criação de pequenos animais.

Sylvio Ferraz, Diretor da CVC, visita atrativos do Grupo Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) e a Estância Mimosa Ecoturismo (Bonito-MS) receberam no início de janeiro a visita de Sylvio Ferraz, Diretor de Produtos Internacionais da CVC.

Acompanhado por seus familiares, realizou o passeio de flutuação pelas águas cristalinas do Recanto Ecológico Rio da Prata e revelou: “Espetacular atração. Vale muito a pena”.

Já na Estância Mimosa realizou o passeio de trilha e cachoeiras. “Passeio incrível, as cachoeiras são maravilhosas. Vocês estão de parabéns”.

Sylvio e família durante passeio de trilha e cachoeiras na Estância Mimosa.

Sylvio ressaltou também os cuidados adotados nos atrativos na prevenção da covid-19. “Em relação ao Covid estão bem cuidados, eu recomendo”.

Gastronomia do Recanto Ecológico Rio da Prata e Estância Mimosa são destaques do livro “Cozinha Pantaneira: Comitiva de Sabores”

O livro “Cozinha Pantaneira: Comitiva de Sabores”, com 180 páginas, faz um mergulho nas raízes da cozinha pantaneira, apresentando ao leitor 65 receitas selecionadas pelo Chef Paulo Machado e preparadas por ele e outros chefs do Centro-Oeste. A publicação é ilustrada pelas fotos de Luna Garcia e texto de Cristiana Couto.

Dividido por temas variados – como “Comidas de Comitiva”, “Comidas de Festa”, “Comidas de Fazenda”, “Comidas da Cidade”, “Comidas do Mercadão” e “Cozinha Indígena”, – o livro, segundo Machado, reúne pratos doces e salgados e começou a ser concebido há quase 15 anos, após um período de estudos e trabalho na Europa.

No capítulo “Comidas da Cidade” dois pratos elaborados pelo Chef Paulo Machado ressaltam a gastronomia dos passeios de ecoturismo de Bonito e Jardim (MS). São eles a Estância Mimosa Ecoturismo e o Recanto Ecológico Rio da Prata no qual desde 2012, o Instituto Paulo Machado treina a brigada de ambos atrativos turísticos, realizando um trabalho de valorização da gastronomia local, utilizando os produtos cultivados na fazenda de modo a ter 100% de aproveitamento.

No Recanto Ecológico Rio da Prata, a receita em evidência é a Moqueca de banana-da-terra. “Como a fazenda recebe turistas de várias partes do globo, criamos um buffet diário de comida regional oferecendo pratos para pessoas que, por algum motivo, não consomem produtos de origem animal. Um dos resultados é esta moqueca. Quando a banana não está em sua época, é substituída por legumes da estação”, diz o chef.

Moqueca de banana-da-terra .

A publicação traz também a receita da Farofa de Erva Cidreira servida na Estância. “A fazenda produz erva-cidreira, que, assim como na região de fronteira, é muito valorizada no Pantanal para curar problemas de saúde, já que são grandes as distâncias entre as fazendas e os centros urbanos. A cidreira é um calmante natural, e, num dos treinamentos feito com a chef Inês Oliva, criamos uma farofa com ela. Dona Dina, cozinheira de tradição e há muitos anos trabalhando na Mimosa, faz semanalmente a farofa, que fica ótima como acompanhamento de peixes e da suculenta feijoada com carne de porco da fazenda servida por lá aos sábados“, revela o Chef Paulo Machado.

Farofa de Erva Cidreira servida na Estância Mimosa.

As receitas podem ser conferidas no livro COZINHA PANTANEIRA: COMITIVA DE SABORES

ISBN: 978-65-86205-02-2

Preço: R$ 80
Número de páginas: 180
Formato: 18 x 24 cm
Vendas on-line: www.bei.com.br

SOBRE O CHEF PAULO MACHADO

Profundo conhecedor da gastronomia latino-americana, Paulo Machado é formado em Direito e Gastronomia e estudou no programa de cozinha francesa do Instituto Paul Bocuse, na França. Mestre em Hospitalidade, fundador do Instituto Paulo Machado em Mato Grosso do Sul, trabalhou em restaurantes da Europa e do Brasil. Dá aulas de gastronomia e já esteve em 56 países, sendo que em 15 deles promoveu Festivais de Cozinha Brasileira. Em 2015, recebeu o Prêmio Dólmã de Melhor Chef na categoria nacional. Em 2017, sua marca “Brasil FoodSafaris” recebeu o prêmio Braztoa/Sebrae de melhor startup em turismo do Brasil. Machado foi colaborador da revista Menu e colunista na rádio CBN Campo Grande. Integra, ainda , o Slow Food, projeto Cumari e o grupo de Cozinhas Regionais da América do Sul. Ensina receitas e curiosidades da alimentação em seu canal do YouTube (Chef Paulo Machado) e escreve no blog www.brasilfoodsafaris.com .

Programa Terra Pecuária visita projetos ambientais e o mergulho no Recanto Ecológico Rio da Prata

Projetos de sustentabilidade e mergulho com cilindro foram as atividades do Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) exibidas no Programa Terra Pecuária – Especial de Fim de Ano. A repórter Izabela Borges visitou os projetos ambientais como o viveiro de mudas, a compostagem, a fábrica de biofertilizante e realizou pela primeira vez o mergulho com cilindro.

Confira:

Visita no Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 4 de dezembro visita de Lucas Mendes e sua esposa Rosiane, autores do perfil no Instagram @lucasramosmendes, e também do casal Bianca e Bruno de Oliveira.

A visita faz parte de uma ação de marketing promovida pela Agência Bonito Way para a realização de registros fotográficos e vídeos dos atrativos da região.

Confira o depoimento que compartilharam!

Recanto Ecológico Rio da Prata participa de ação de reflorestamento no Rio Miranda

O Instituto Guarda Mirim Ambiental de Jardim (IGMA) deu início na última quinta-feira (26) ao projeto “Cuidar e Preciso, recuperação das matas ciliares dos Rios da Prata Santo Antônio e Miranda Jardim-MS”.

Em parceria com o Projeto “Cabeceiras do Pantanal” do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), a ação foi realizada na cabeceira do Rio Miranda no encontro do córrego Fundo com o Rio Roncador. “Esse é o início de ações de plantio de mudas nativas para recuperação de áreas degradadas as margens dos rios da região”, revela Nisroque Soares, diretor do IGMA.

No local foram plantadas 75 mudas de espécies nativas, doação do viveiro de mudas do Recanto Ecológico Rio da Prata e mudas do viveiro do IGMA.

O projeto tem o apoio do Recanto Ecológico Rio da Prata, do Instituto Homem Pantaneiro, Fundação Neotrópica do Brasil e do Ministério Público Estadual – 1ª Vara de Jardim.

Novas etapas serão realizadas em 2021.

Veja as fotos:

Sobre o Rio Miranda

O Rio Miranda é formado no encontro do rio Roncador com o córrego Fundo, nos limites dos municípios de Jardim e Ponta Porã, a uma altitude de 320 metros acima do nível do mar. Percorre uma distância estimada de 490 km, desembocando no rio Paraguai, no município de Corumbá, a 83 metros de altitude. Cruza os biomas Cerrado e Pantanal, tendo como principal afluente o rio Aquidauana.

Nos últimos anos o rio Miranda vem sofrendo com o risco de assoreamento e a preocupação de muitas pessoas que moram nos municípios banhados pelo rio, é que ele seque totalmente.