Diretor do Grupo Rio da Prata ministra palestra em Mundo Novo

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), unidade em Mundo Novo, realizou no dia 5 de agosto a terceira edição do Workshop RPPN Ernesto Vargas Baptista – “Unidades de Conservação e o Desenvolvimento Territorial Sustentável.

O evento teve como objetivo discutir a importância da RPPN Ernesto Vargas Baptista e Unidades de Conservação de seu entorno no Desenvolvimento Territorial Sustentável e na Segurança Hídrica.

Eduardo Coelho, Diretor do Grupo Rio da Prata e proprietário da RPPN Cabeceira do Prata (Jardim-MS) foi um dos palestrantes convidados no qual abordou o tema Conservação ambiental, ecoturismo e produção agropecuária.

A RPPN Cabeceira do Prata foi criada em 1999, protegendo 295,0484 hectares (20% da área total da Fazenda), englobando toda a mata ciliar do rio Olho d’Água, desde a sua nascente até quando ele desemboca no rio da Prata.

O passeio de flutuação do Recanto Ecológico Rio da Prata é baseado na beleza singular da área da RPPN, que associa uma grande biodiversidade à presença de águas transparentes, permitindo uma atividade de contemplação e interação com a natureza.

Portanto, ao proporcionar o contato de visitantes do mundo todo com esse ambiente exuberante, o passeio visa promover sua conscientização e divulgar a importância das RPPNs para a conservação de áreas naturais, além de fomentar o desenvolvimento do turismo sustentável na região, uma alternativa para a geração de renda sem destruição dos recursos naturais.

Lobo-guará é flagrado no Recanto Ecológico Rio da Prata

Era início da manhã de sexta-feira (5) quando o colaborador Mateus Alexandre chegava no Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS). Logo na entrada da fazenda, percebeu a presença de um animal silvestre e ao se aproximar viu que era um lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), o maior canídeo da América do Sul.

Para sua surpresa, o animal não estava sozinho. Carregava consigo um filhote em sua boca. Veja aqui o vídeo!

Flagrar a espécie nos campos do Recanto Ecológico Rio da Prata é motivo de muita, mas muita alegria mesmo! O lobo-guará está classificado pelo Ministério do Meio Ambiente como uma espécie vulnerável, em uma lista de animais ameaçados de extinção e também como uma espécie “quase ameaçada”, há mais de duas décadas, pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês).

Segundo informações do portal BBC, especialistas apontam que, diante dos frequentes problemas causados por intervenção humana, a população de lobos-guarás no Brasil reduziu cerca de um terço nas últimas duas décadas. A estimativa atual, segundo estudiosos, é de que haja cerca de 24 mil animais no Brasil, que correspondem a cerca de 80% da população mundial — eles também estão em países como Argentina, Uruguai, Bolívia e Peru.

Reintegração na natureza

O Recanto Ecológico Rio da Prata, assim como a Lagoa Misteriosa e a Estância Mimosa – atrativos do Grupo Rio da Prata, são parceiros de longa data e credenciados junto ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS – de Mato Grosso do Sul, local criado para receber animais para serem reintegrados à natureza, onde são alimentados e passam por tratamento até a soltura.

Em 2014, o CRAS realizou pela primeira vez na região a soltura de um lobo-guará, na área da Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN – Cabeceira do Prata, onde acontece o passeio de trilha e flutuação do Recanto Ecológico Rio da Prata. A escolha do local mostrou que a RPPN está apta a receber animais deste porte!

Registro da soltura do lobo-guará no Recanto Ecológico Rio da Prata em 2014.

Características

Parente dos lobos selvagens e dos cachorros domésticos, o lobo-guará é um animal típico do Cerrado e maior canídeo da América do Sul, podendo atingir até um metro de altura e pesar 30 quilos. Além do Brasil, pode ser encontrado em regiões da Argentina, Bolívia, Paraguai, Peru e Uruguai.

Altivo, esguio e elegante, também é conhecido como lobo-de-crina, lobo-vermelho, aguará, aguaraçu e jaguaperi, todos nomes atrelados a sua bela pelagem laranja-avermelhada, que o torna um dos mais belos animais brasileiros. Na natureza, vive cerca de 15 anos. A cada gestação, que dura pouco mais de dois meses, nascem em média dois filhotes.

É tímido, solitário e praticamente inofensivo, preferindo manter distância de populações humanas. Usa suas presas para se alimentar de pequenos animais, como roedores, tatus e perdizes, além de frutos variados do Cerrado, como o araticum e a lobeira (Solanum lycocarpum), alimento muito consumido pelo guará. (Informações WWF Brasil).

Pedido de casamento no Recanto Ecológico Rio da Prata

Daquelas surpresas que marcam para o resto da vida. Um pedido lindo de casamento aconteceu nas águas cristalinas do Recanto Ecológico Rio da Prata, passeio de ecoturismo em Jardim (MS).

Na véspera do seu aniversário de 25 anos, a advogada Barbara Campolina Paulino, foi pedida em casamento debaixo d’água pelo empresário Bernardo Andrade Mascarenhas, 33, com quem namora há mais de um ano.

Bernardo surpreendeu sua namorada Bárbara com o pedido de casamento, submerso nas águas cristalinas do Recanto Ecológico Rio da Prata.

Moradores de Itaúna, interior de Minas Gerais, decidiram conhecer Bonito pela primeira vez. Mas o pedido ocorreu durante flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata, em Jardim.

Foi preciso uma força tarefa para que Bárbara não percebesse a surpresa e ainda entrasse no rio. Isso porque antes do passeio, ela se sentiu indisposta por causa do calor e roupa de neoprene. “Eu quase não entrei, mas o guia conversou bastante, me tranquilizou e entrei na água para iniciarmos o passeio”.

Depois de um longo trajeto de flutuação, uma das paradas onde turistas fazem fotos debaixo d’água, próximo a uma ressurgência, virou cenário para o pedido.

Bernardo mandou fazer plaquinhas com frases e o pedido, que terminou com um “sim” e um beijo apaixonado.

“Essa viagem surgiu para comemorar meu aniversário de 25 anos e ele me pediu em casamento na véspera. Todo mundo sabia e foi muito bem feito, foi lindo.  Minha ficha demorou para cair, mas foi o melhor presente de aniversário que eu pude receber”, destaca a advogada.

Com informações Campo Grande News

Projeto Arara Azul monitora ninhos artificiais no Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 07 de julho a visita de Carlos Cezar Corrêa, técnico do meio ambiente do Projeto Instituto Arara Azul e da bióloga Grace Ferreira da Silva, com o objetivo de monitorar os ninhos artificiais instalados no atrativo.

Durante a visita foram realizadas vistorias em 14 ninhos artificiais instalados na fazenda.

Em um dos ninhos foi encontrada Coruja suindara “Tyto furcata”.

A bióloga Grace Ferreira da Silva ressaltou que a espécie utiliza os ninhos como refúgio, para dormir e se alimentar.

A espécie, segundo as informações do Portal Aves de Rapina, costuma nidificar em forros e sótãos de casas, celeiros, abrigos abandonados e torre de igrejas. Elas não constroem ninhos para postura e incubação, necessitam de uma cavidade inferior ou de uma pequena saliência.

Geralmente costuma botar de quatro a sete ovos e são incubados por, aproximadamente, 32 dias. Com 50 dias de vida, os filhotes já estão aptos para voar.

Essa espécie é ativa ao entardecer e amanhecer e também noturna. Costuma alimentar-se de pequenos roedores e insetos, ingerindo-os por inteiro.

Além da coruja suindara, a equipe do Instituto Arara Azul ressaltou que as araras exploraram também os ninhos artificiais. “O perído reprodutivo está se iniciando e esperamos que as araras ocupem os ninhos e tenham muitos filhotes”, concluiu Grace.

Sobre a parceria:

O Recanto Ecológico Rio da Prata e Lagoa Misteriosa mantém a parceria com o projeto Arara Azul, desde fevereiro de 2012 quando foram instalados os primeiros ninhos artificiais nas dependências das fazendas.

Sempre que podem ou são solicitados, os colaboradores do projeto realizam visitas de monitoramento dos ninhos e também dos filhotes que possam ser encontrados.

Alunos do IFMS realizam visita técnica no Recanto Ecológico Rio da Prata

Unir o ecoturismo com a educação faz parte das diretrizes de Sustentabilidade do Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) e acreditamos ser essencial para abordar o ensino-aprendizagem como diferencial para a formação e ampliação dos conhecimentos dos alunos!

No último fim de semana recebemos no atrativo os acadêmicos do Curso de Arquitetura e Urbanismo do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, campus Jardim (MS) acompanhados pela Professora Graziele Ruas.

Conhecer a estrutura do local, o ecoturismo e os projetos ambientais, assim como as ações do Instituto Amigos Rio Prata, foram os objetivos da visita técnica.

Depois de um bate-papo com Bruna Mello, Gestora Ambiental do atrativo, conheceram as águas cristalinas do rio da Prata!!

Confira o depoimento:

Foi um prazer recebê-los no local!!

Integrantes do WWF visitam os atrativos do Grupo Rio da Prata

Os atrativos do Grupo Rio da Prata, Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) e a Estância Mimosa Ecoturismo (Bonito-MS) receberam nos dias 9 e 10 de junho, a visita de integrantes da WWF, organização que atua para mudar a trajetória de degradação ambiental e promover um futuro mais justo e saudável para todos.

O colaborador do Grupo Rio da Prata, Renato Franco, acompanhou as visitas em ambos os passeios.

No Recanto Ecológico Rio da Prata o grupo conheceu os projetos ambientais, realizaram o passeio de flutuação, participaram de um bate papo com Liliane Lacerda, do Instituto das Águas da Serra da Bodoquena (IASB), na qual falou sobre o trabalho realizado pela ONG em prol à preservação ambiental, realizaram um passeio a cavalo e para finalizar o dia fizeram um plantio de mudas no atrativo.

“Acabamos de fazer um passeio maravilhoso! Passamos o dia todo na fazenda, fizemos flutuação que foi uma das coisas mais bonita de se ver, depois realizamos um passeio a cavalo lindo, plantamos mudas de restauração no Bosque, estou extremamente encantada e muito feliz em fazer parte disso”, revelou Laís Cunha, Analista de Conservação Ambiental WWF.

Confira o depoimento de Laís em: https://youtube.com/shorts/dwffEYCKItU

Já na Estância Mimosa, o grupo conheceu os projetos ambientais e se encantaram com os trabalhos realizados em ambas fazendas.

“Viemos à Estância Mimosa para fazer uma visita técnica e também aproveitar esse paraíso. O que eu posso dizer é que foi uma experiência incrível ver a restauração e a conservação aliada à produção agrícola. Fomos muito bem recebidos, a estrutura do local impressiona, o profissionalismo de toda a equipe e toda dedicação com o turista é também de se enaltecer. Foi um grande prazer estar aqui, ver como vocês conservam a biodiversidade, os recurso naturais e como trabalham o turismo de forma sustentável. De fato, esse é um empreendimento que precisa ser enaltecido, é uma referência e um exemplo para outros no Brasil”, revelou Thiago Belote, Restoration Specialist WWF.

Participaram da visita: Ana Carolina Crisostomo – Analista de Conservação WWF; Laís Cunha – Analista de Conservação Ambiental WWF; Veronica Maioli – Instituto Internacional para Sustentabilidade, como pesquisadora especialista em socioecologia e coordenadora de Desenvolvimento Sustentável; Thiago Belote – Restoration Specialist WWF; Kolbe Soares – Analista de Conservação WWF; Karina Berg – Líder da Global Grasslands and Savannahs Initiative e Gerente Regional, América Latina para WWF-UK; Seline Meijer – Consultor Sênior de Alimentos e Agricultura WWF Netherlands; Maria Izabel Lion; e outros profissionais.

Acasalamento de peixes piau no Recanto Ecológico Rio da Prata; veja o vídeo

Um casal de piau-três-pintas (Leporinus friderici) foi flagrado no momento do acasalamento no rio Olho D’Água, localizado no Recanto Ecológico Rio da Prata em Jardim (MS), passeio de ecoturismo conhecido internacionalmente por suas águas cristalinas e ações ambientais.

O período reprodutivo da espécie ocorre entre os meses de novembro a janeiro. É um peixe de piracema, faz longas viagens para reproduzir em época de cheia em meio a densa vegetação. O flagrante no mês de maio chamou a atenção por ser fora da época usual para a reprodução.

Para José Sabino, biólogo que atua desde 2004 junto ao Recanto Ecológico Rio da Prata para a realização de monitoramento integrado nas águas dos rios do local, esses eventos de reprodução reforçam a importância do Olho d’Água para a reprodução de peixes migradores da planície para o planalto.

Uma das hipóteses para que isso aconteça pode ser a temperatura da água do rio. “Esses eventos isolados no Olho d’Água se dá muito provavelmente por causa da temperatura da água. Peixes de piracema usam como gatilhos ambientais o aumento do fluxo de água (associada às chuvas) para subir os rios. Como fator ambiental complementar, a temperatura da água (mais quente no verão) completa esses sinais ambientais. Essa temperatura mais elevada pode ser um fator marcante no Olho d’Água, com uns 3 ou 4 graus acima da temperatura média do rio Prata”, acredita José Sabino.

De acordo com o biólogo, a temperatura mais elevada pode “confundir” a fisiologia reprodutiva dos peixes e “eventualmente eles desovam“, conclui.

Outro ponto observado é que a manutenção dos rios livres de barragens é fundamental para que os peixes possam migrar e fazer seu processo reprodutivo. “Com o processo migratório da piracema, fica evidente que as populações se conectem e mantenham sua variabilidade genética. Sem a conexão, há risco para que os processos naturais se completem”, finaliza Sabino.

O vídeo é de autoria do fotógrafo Vinicius de Oliveira.

Atriz Cristiana Oliveira visita atrativos do Grupo Rio da Prata

Os atrativos do Grupo Rio da Prata – Estância Mimosa Ecoturismo, Recanto Ecológico Rio da Prata e a Lagoa Misteriosa, localizados em Bonito e Jardim (MS) receberam nesta semana a visita da atriz Cristiana Oliveira, a “Juma” na primeira versão da novela Pantanal.

Na Estância Mimosa conheceu as cachoeiras, piscinas naturais e projetos ambientais realizados no local e se encantou com a experiência. Em suas redes sociais, compartilhou: “Exemplo de lugar que utiliza a conservação da natureza a seu favor. Uma mata espetacular, com esse rio único, protegido por uma reserva (RPPN) criada pelo proprietário. Só poderia resultar em uma paisagem belíssima como essa. Um verdadeiro presente de Deus. Estar aqui só fortalece meu amor genuíno à natureza e, estar próxima às pessoas que cuidam da natureza, transborda meu coração de esperança”.

Em 2021, Cristiana havia realizado o passeio de flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata. “A flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata já tinha feito me superar do meu medo de mergulho. O visual lá embaixo, você lidar com os peixes como as piraputangas, os dourados, é uma paz que não tem como descrever. A gente simplesmente se aparta do mundo. A gente entra nos nossos pensamentos, e vê o quão pequeno nós somos diante dessa natureza toda, tão vasta e tão linda”.

Este ano, Cristiana conheceu a Lagoa Misteriosa, uma experiência na qual ela ressalta que se saiu vitoriosa.

“Hoje eu superei mais um medo, fazendo a flutuação e um pouco de apneia na Lagoa Misteriosa… a gente vê que aqui Deus comanda. Aliás, Deus comanda em todos os lugares, mais aqui acho que ele comanda mais porque a natureza é obra dele. Consegui mergulhar, consegui fazer apneia, tirei fotos lindas e mais uma vez senti essa paz. A gente perde todos os sentimentos negativos quando estamos num lugar desse e saímos mais em paz ainda do que quando entramos. Muito obrigada por ter me feito superar esses medos, que não são fáceis, mas quando a gente supera nos sentimos vitoriosa e eu fui vitoriosa. Obrigada”, disse.

Veja o depoimento:

Cristiana Oliveira esteve no destino de ecoturismo para participar da 10ª Feira Socioambiental de Bonito, evento promovido pelo Instituto das Águas da Serra da Bodoquena (IASB). “Foi tão lindo ver a importância da prática da educação ambiental nas nossas vidas. O evento todo transpirava amor ao próximo, aos seres vivos, à natureza. Tudo feito com muito carinho pela ONG IASB, a qual sou voluntária. Recebi muita informação e também muito carinho da população bonitense. Aprendi a amar Bonito, e sempre estarei à disposição para contribuir com ações e iniciativas sérias que busquem sua conservação. Só posso dizer que foi incrível”, compartilhou a atriz em suas redes sociais.

Colaboradores do Grupo Rio da Prata ministram palestra na UEMS Jardim

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), unidade de Jardim, realizou nos dias 02 e 03 de junho a “Semana do Meio Ambiente: Relação Sociedade e Natureza no Mato Grosso do Sul – a conservação e sustentabilidade ambiental nos municípios de Jardim e Bonito”, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no dia 05 de Junho.

A convite da organização, o Grupo Rio da Prata se fez presente no evento, representado pelos colaboradores Bruna Mello e Manoel Cruz que mininstraram palestra sobre os atrativos Recanto Ecológico Rio da Prata, Lagoa Misteriosa e Estância Mimosa Ecoturismo, na última sexta-feira (3).

O evento, coordenado pelas professoras do curso de Geografia Dra. Daiane Alencar e Dra. Greisse Quintino Leal, contou com a participação de alunos e professores da UEMS dos cursos de Geografia, Letras e Técnico em Logística.

Bruna e Manoel ressaltaram que o evento foi muito proveitoso e que responderam diversas dúvidas a cerca dos atrativos, bem como das ações que o Grupo Rio da Prata desenvolve para a conservação dos rios e parcerias com as ONGs.