Guia 4 rodas e Revista Terra – Bonito e Pantanal

Bonito consegue abrigar em uma única região cachoeiras, grutas, nascentes e rios de águas cristalinas.

Caminhada, mergulho e rapel são algumas das atividades praticadas no município, que fica na encosta da Serra da Bodoquena, cadeia de montanhas cuja altura não ultrapassa 720 m. Na vegetação, predomina o cerrado, com matas nas margens dos rios, destancando-se espécies de árvores como perobas – rosas, angicos e alecrins. A região é habitada por macacos, tamanduás, emas e aves silvestres. A grande concentração de calcário no solo é um dos segredos da natureza de Bonito.

A presença do calcário não deixa partículas suspensas, garantindo a transparência das águas. As rochas calcárias ainda permitem que a água corra por dutos subterrâneos, que formam rios interiores e sumidouros, criando inúmeras cachoeiras e cavernas. Na alta temporada (janeiro, julho e feriados), reserve com antecedência os passeios, que têm número limitado de visitas diárias. Todas as atrações estão em propriedade particulares e o visitante só é admitido acompanhado por guia credenciado pela EMBRATUR.

Rio da Prata ***

Dos 9 rios que banham a região, o mais selvagem é o Rio da Prata. Mas o passeio começa na nascente do rio Olho D’Água, pequeno afluente do Prata, onde a água límpida e fresca brota do chão. Para chegar à nascente, é preciso primeiro caminhar por 1h numa trilha em meio à mata virgem, ao longo do Rio da Prata. Com um pouco de sorte, pode-se ver animais como cutias, tamanduás e tucanos. Nos merggulho livre com snorkel e roupa de neoprene do Olho D’Água, num trecho de 2,4 km, encontram-se pintados, pacus, dourados, piaus e piraputangas. Para aproveitar mais o Prata, tente a flutuação, deixando-se levar pela correnteza.

Guia 4 rodas e Revista Terra – Turismo Ecológico no Brasil

Edição ano 2000

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked