Recanto Ecológico Rio da Prata participa do aniversário de 76 anos de Jardim

A cidade de Jardim (MS) completou 76 anos no último sábado, 14 de maio. Com uma população estimada em 26.238 habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o município é reconhecido internacionalmente por sua belezas naturais, entre eles balneários, Buraco das Araras, o Recanto Ecológico Rio da Prata e a Lagoa Misteriosa, estes dois últimos pertencentes ao Grupo Rio da Prata.

A convite de Kátia Regina Farias de Souza, Diretora das Escolas Municipais Rufina Loureiro Caldas e Beracy Brunet Barbosa, os colaboradores Willian Trabassi e Bruna Mello, representaram os atrativos do Grupo Rio da Prata durante o Desfile Cívico realizado para celebrar a fundação da cidade. “Foi uma honra poder participar de um evento tão importante para cidade”, revelou Willian.

Cerca de 100 mudas de mandovi, do viveiro de mudas do Recanto Ecológico Rio da Prata, foram doadas para o público presente no evento.

Veja abaixo alguns momentos:

Vídeo flagra momento em que morcego preda peixe no Recanto Ecológico Rio da Prata

Recebemos no início de abril a visita de José Sabino, biólogo e fotógrafo, que atua desde 2004 junto ao Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS), para a realização de monitoramento integrado nas águas do rio Olho D’Água.

Utilizando uma lanterna de feixe de luz vermelha, que interfere menos no comportamento dos peixes, José Sabino fez registros incríveis da natureza durante o monitoramento noturno: havia uma grande revoada de insetos noturnos, principalmente mariposas e efemerópteras. Esses pequenos insetos – que estavam próximos à superfície do rio –, por sua vez atraíram dezenas de lambaris, predadores naturais desses invertebrados.

Porém, essa situação atraiu também o morcego Noctilio leporinus. “Esse morcego é especialista em predar peixes e possui uma percepção incrível visto que usa o sonar, uma característica que permite a ecolocalização e que detecta o peixe que está nadando na superfície da água. As pequenas ondulações que o peixe faz na água percebidas pelo sonar do morcego e ele, então, caça ativamente à noite”.

E foi exatamente esse registro que José Sabino fez. O momento no qual o morcego sobrevoa o rio e faz a captura do peixe. “Foi um desafio, fiquei mais de duas horas ali tentando gravar tanto a passagem quanto a batida do morcego na água”, revelou.

VEJA AQUI O VÍDEO

Sobre o monitoramento

Para Sabino, a realização de monitoramento dentro do contexto do turismo sustentável é de extrema importância. “Você não faz sustentabilidade de fato se você não monitorar o ambiente. Onde tem turismo de mínimo impacto, há toda uma preocupação para que se criem métricas, maneiras de avaliar, medir e acompanhar ao longo do tempo esse conjunto de informações sobre a biodiversidade. Você monitora as condições do ambiente e ajuda depois o operador turístico, no caso os proprietários da RPPN, na tomada de decisão. É um trabalho importantíssimo feitos em ambientes nos quais se faz turismo sustentável”.

Os monitoramentos são realizados no período diurno e noturno. Sabino ressalta que os peixes que são ativos durante o dia, principalmente os que possuem olhos grandes e que tem na visão o principal órgão sensorial, como o dourado, piraputanga, curimbatá, piaus, joaninhas e carás, procuram seu alimento, se reproduzem, fazem todas as suas atividades no período diurno. Porém, durante a noite esses peixes diminuem o seu ritmo de atividades e aí os peixes noturnos entram em atividade. É como se houvesse uma troca de turnos.

“Já os peixes noturnos são aqueles que principalmente tem orientação tátil e química. Bagres, cascudos e mussuns são bons exemplos deste tipo de organismo, assim como as tuviras, do grupo dos peixes elétricos. Tem também aqueles que usam a visão muito especializada para a penumbra que é o caso das traíras e das piranhas”, acrescenta o biólogo.

Os exemplos citados revelam que há uma troca de fauna que não é nem percebida durante o dia, mas que está presente e que é importante para a manutenção da saúde do rio. “Por isso a importância em realizar o monitoramento em ambos os períodos”.

Monitoramento no Recanto Ecológico Rio da Prata

José Sabino monitora e estuda o rio Olho d’Água e o rio da Prata regularmente desde 2004. Além da ictiofauna, monitora as plantas do rio (porcentagem da cobertura e espécies de macrófitas), aspectos da mata ciliar (frutificação, integridade da mata, principais espécies de aves e mamíferos), um programa denominado de monitoramento integrado da biodiversidade.

Os dados de pesquisas (com publicação de artigos, dissertações e teses) e mais recentemente do monitoramento realizados no Recanto Ecológico Rio da Prata são fundamentais para: conhecer e entender quem são os elementos (especialmente os peixes) e seus papéis no funcionamento dos ecossistemas da RPPN; propor ações de manejo para eventuais demandas de recomposição da biodiversidade; implementar ações de educação ambiental com diferentes públicos/visitantes; e treinar e capacitar funcionários e guias de turismo.

Irara, anta e outras espécies são flagradas pelas armadilhas fotográficas instaladas no Recanto Ecológico Rio da Prata

Irara, Anta, Cutia, Quati e Veado foram as espécies flagradas pela armadilha fotográfica instalada no Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS).

Desde 2011, o atrativo utiliza o equipamento para realizar o monitoramento ambiental e o diagnóstico das espécies, instalados em diferentes pontos da fazenda! ⠀

O resultado: cenas lindas e inusitadas da fauna que temos o prazer em compartilhar com todos vocês. Veja abaixo:⠀

Estudantes dinamarqueses visitam o Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no início de abril a visita de um grupo de estudantes de Copenhagen, na Dinamarca, acompanhados pelo guia de turismo e intérprete, Gilberto da Empresa Pantanal Discovery.

Eles finalizaram recentemente o ensino médio e a viagem para o Brasil tem como o objetivo de conhecer e aprender sobre a cultura do país.

Além da flutuação, os alunos conheceram os projetos ambientais e fizeram um plantio no local, acompanhados também por Bruna Mello, gestora ambiental do Recanto Ecológico Rio da Prata.

“Muito obrigado pelo teu esforço para ajudar o grupo nesse nobre ato de conservação do meio ambiente”, revelou o guia Gilberto.

Foi um prazer recebê-los aqui!

Grupo Rio da Prata promove curso sobre segurança com colaboradores dos atrativos e guias de turismo de Bonito e região

O Grupo Rio da Prata, no qual fazem parte o Recanto Ecológico Rio da Prata, Lagoa Misteriosa e a Estância Mimosa, passeios de ecoturismo em Jardim e Bonito (MS), realizou entre os dias 21 a 26 de março cursos sobre segurança. Foram eles: Curso de Noções de Primeiro Socorros, Salvamento Aquático e Brigada de Incêndio.

A capacitação, realizada anualmente, é uma das exigências dos Sistemas de Gestão de Segurança* e foi ministrada por Ênio Conturbia, enfermeiro e Tenente do Corpo de Bombeiro Militar do MS; Jaqueline Arruda, enfermeira e Sargento do Corpo de Bombeiro Militar do MS, integrantes da Attack, empresa de consultoria e treinamentos em emergência. Participaram os colaboradores dos atrativos e também de guias de turismo da região.

Foram realizadas aulas teóricas e práticas, além de provas de salvamento aquático e simulados de acidentes durante o percurso em terra e na água.

Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade dos atrativos, revela sobre a importância do curso. “Temos um compromisso sério com a segurança dos nossos visitantes. Compromisso que é demonstrado através dos nossos mais de 10 anos de SGS certificado. Observamos que com monitoramento diário, procedimentos, equipamentos e supervisão adequada é sim possível trabalhar com um número mínimo de acidentes e incidentes. E este é o nosso objetivo, afinal nossos visitantes querem uma experiência agradável na natureza”.

No Recanto Ecológico Rio da Prata, o curso básico de Salvamento Aquático, além da presença do instrutor Ênio Conturbia, teve a participação da equipe de monitores do atrativo, da equipe da Jarim Sub – responsável pela operação de mergulho com cilindro no atrativo, e também da particpação da guia de turismo, Maria Senir.

“Treinar a equipe para agir em situações de emergência é primordial para nossa operação turística. Ter uma pessoa técnica e carismática como Ênio ministrando curso faz equipe absorver ao máximo todas as informações repassadas“, disse Teódison Gonçalves, gerente do Recanto Ecológico Rio da Prata.

Veja alguns momentos do curso no Recanto Ecológico rio da Prata:

Início do Curso de Primeiros Socorros.
Curso de Salvamento Aquático.
Curso de Salvamento Aquático.

Para Valdenir de Souza, Gerente da Estância Mimosa, “os treinamentos e a familiarização por parte da equipe com os equipamentos de segurança existentes no atrativo tornam o curso muito mais proveitoso e eficaz. Os simulados, realizados na sede e no percurso do passeio dentro da RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural -, mostram a realidade de atendimento durante uma emergência, onde são monitorados desempenho e realizado feedback. Assim, toda a organização fica preparada para ocorrências de emergência, para o atrativo e consequentemente para a sociedade, já que são conhecimentos que podem serem aplicados em qualquer lugar onde estivermos”.

Veja alguns momentos do curso na Estância Mimosa:

Simulado de imobilização e locomoção de acidentado na Estância Mimosa.
Simulado de imobilização e locomoção de acidentado na Estância Mimosa.
Curso prático de salvamento aquático na Estância Mimosa.
  • Segurança Certificada

Em setembro de 2021, os atrativos do Grupo Rio da Prata passaram pela auditoria de manutenção dos seus Sistemas de Gestão de Segurança, auditoria realizada anualmente, com a participação de Paulo Sérgio Coelho de Andrade, auditor da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

A auditoria dispõe-se a verificar se o Sistema de Gestão de Segurança Implantado obedece a Norma NBR ISO 21101 – Sistema de Gestão da Segurança, que estabelece os requisitos mínimos para um sistema de gestão da segurança (SGS) para prestadores de serviços das atividades de turismo de aventura.

Os atrativos continuam certificados conforme a Norma ABNT 21101:2014, sendo parte de um grupo seletos de empresas no Brasil que tem a certificação desde 2010 ininterruptamente.

Colaboradores do Recanto Ecológico Rio da Prata participam de treinamento sobre apicultura

Os colaboradores do Recanto Ecológico Rio da Prata Luciemir Maidana e Anderson Paes participaram, no dia 15 de fevereiro, de treinamento sobre divisão de enxame, ministrado pelos apicultores Jandir Acosta Pache, Brasa e Jamanta. Cincos enxames existentes no atrativo foram transformados em nove.

Na última quinta-feira (24), os colaboradores alimentaram a nova colmeia com xarope de açúcar e água, com o objetivo de fortalecer e aumentar o enxame.

As atividades de apicultura iniciaram em 2012 no Recanto Ecológico Rio da Prata devido a necessidade de realocar enxames de abelhas, que eventualmente eram encontrados nas trilhas. Em 2021 a produção foi de 220kg.

Técnicos do IAGRO visitam Rio da Prata e compartilham informações de adesão para o Selo Arte

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 24 de fevereiro a visita dos técnicos Wilson de Moraes Rodrigues Júnior, Chefe do Núcleo de Produtos Artesanais do IAGRO e também Ricardo Ferreira Yule, técnico do AFA.

O intuito foi compartilhar informações para a adesão do doce de leite produzido artesanalmente no atrativo no Selo Arte, certificado que assegura que o produto alimentício de origem animal foi elaborado de forma artesanal, com receita e processo que possuem características tradicionais, regionais ou culturais.

Recanto Ecológico Rio da Prata registra 235 espécies de aves; confira a lista

Em novembro de 2021 uma nova espécie de ave foi registrada no Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS), aumentando assim a sua Bird List. A avistagem de um arapapá (Cochlearius cochlearius), feita pelo colaborador Fernando Maidana, fez com que a publicação atingisse 235 espécies catalogadas.

A Bird List Avifauna Rio da Prata integra o Plano de Manejo da RPPN Fazenda Cabeceira do Prata e sua elaboração contou com a participação de Maria Antonietta Castro Pivatto, Mauricio Neves Godoi, Daniel De Granville Manço, Daniel de Azevedo Scalabrini, Nádia Franco Pisetta e Fernando Maidana.

Clique aqui e veja a lista!

Cada espécie é catalogada de acordo com o grau de ameaça de extinção; endemismos; comportamento migratório; dependência de ambientes florestados; dieta e hábitos.

Entre as espécies registradas como quase ameaçadas (QA) e vulnerável (VU), segundo IUCN (2017) e MMA (2018), estão: mutum-de-penacho (VU); gavião-de-penacho (QA); arara-azul grande (VU); tiriba-fogo (QA); papagaio-galego (QA) e o tico-tico-de-máscara-negra (VU).

Localizada em uma região de grande diversidade ambiental, dentro do Bioma Cerrado, a fazenda é um local estratégico para a atividade de Observação de Aves ou a Passarinhada. Biguatinga, Socó-boi, Acauã, Periquito-da-serra, Udu-de-coroa-azul são algumas das espécies avistadas.

O arapapá também é conhecido como savacu, colhereiro, arataiá, arataiaçu, socó-de-bico-largo (Piauí), tamatiá e tamatião (Pará), tem como um de suas características marcantes o bico largo e poderoso, que lembra um barco virado de cabeça para baixo. Fernando Maidana, autor do registro, ressaltou que “foi uma das aves mais incríveis que tive o privilégio de fotografar no Recanto Ecológico Rio da Prata. Porém muito arisca e não me deixou aproximar muito”.

Mais informações sobre as atividades, acesse: https://www.riodaprata.eco.br/observacao-de-aves
⠀⠀

Após visitar Bonito e Jardim, turista escreve poema sobre as belezas naturais da região

Recebemos recentemente a visita de Davi Machado, poeta que conheceu as águas cristalinas e a natureza preservada de Bonito e região, no Mato Grosso do Sul! Encantado com tudo que viu, Davi compartilhou um poema que fez sobre a visita. Confira:

Bonito??

Bonito de se ver, tocar, sentir, cheirar, todos os sentidos são aguçados para o inesperado Bonito??

Uma gruta que causa espanto e confusão pois em suas profundezas não se encontra trevas e sim um azul tão profundo jamais visto ou imaginado por qualquer pintor renascentista.

Bonito?? Para mais espanto e confusão existe um rio chamado de prata! Porque prata? Penso eu e logo descubro que a tantos peixes de formas e cores que olhando do alto eles brilham como prata nesse rio tão claro quanto uma linda noite de luar!

Bonito?? E aí quando eu imaginara que as belezas desse oásis estavam prestes a acabar, obtive grande espanto pois os encantos dessa joia natural estava apenas em seu primeiro ato inicial… pois em Bonito?? A cada passo que se dá, uma porta ao desconhecido paraíso natural se abre, e de uma trilha que se saí uma linda cachoeira você encontra e esse encontro não é só físico pois ela te envolve em todos os sentidos!

Desde cada forma exuberante que a própria mãe natureza dá, a um cheiro adocicado de marmelo, e de repente você se depara com um lindo macaco prego!! Como traduzir em palavras todos os sentidos despertos de Bonito? Impossível! Seu nome ainda é pouco comparável a sua beleza!
Cidade de tantos mistérios naturais, paraíso na terra, acredito que o verdadeiro nome dessa cidade seja “Divino” Bonito para não chamar muito atenção dos homens! E que assim permaneça “Bonito” ??

Foto: Fernando Maidana/ Grupo Rio da Prata.

Atriz Giovanna Goldfarb se encanta com as águas cristalinas do Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata, atrativo turístico localizado em Jardim (MS), recebeu na última terça-feira (15), a visita da atriz Giovanna Goldfarb.

A visita da atriz, que viveu a personagem Zefa na primeira versão da novela “Pantanal”, faz parte do famtour (viagem de familiarização) promovido pela Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, com o apoio de empresários do trade turístico, para a promoção e divulgação dos destinos turísticos.

No Recanto Ecológico Rio da Prata, Giovanna foi conduzida pelo guia de turismo Maycon Portilho e pelo colaborador do atrativo, Renato Franco.

“Estou maravilhada. O Rio da Prata vale ouro, é transformador”, disse sobre a experiência.

Giovanna realizou também um plantio de uma muda de manduvi, acompanhada pelo engenheiro ambiental do atrativo, Willian Felipe Trebassi e também por Liliane Lacerda, do IASB – Instituto das Águas da Serra da Bodoquena.

Foi um prazer enorme recebê-la no Recanto Ecológico Rio da Prata!!