Bonito no Terra Especial Ecoturismo

Mas também os rios estão sendo convertidos em campos de prova. Dos nove que banham a região, o mais selvagem é o Rio da Prata. Na verdade, o passeio começa na nascente do Rio Olho D’´Água, um pequeno afluente do Prata.

Ali, a água brota do chão em pequenos vulcões para formar uma corrente límpida e fresca que desce calmamente a planície. Para atingir a nascente, deve-se percorrer uma trilha perfumada de jasmins e muito visitada por animais típicos do Pantanal, como cutias, tucanos e tamanduás.

A maneira mais emocionante de explorar o Rio da Prata é descê-lo deixando-se levar pela correnteza (uma manobra típica do canyonig e conhecida como flutuação). No meio da impressionante vegetação subaquática, a companhia não só de peixinhos coloridos dignos de aquários mas também dos gigantes dourados, piraputangas e pacus.”

Terra Especial Ecoturismo – 1999

Reportagem sobre Bonito na Revista Família Aventura Nº 6

Só quem vai a Bonito, no Mato Grosso do Sul, sente na pele como a natureza é generosa com este lugar. Rios de águas límpidas, cachoeiras, aquários naturais, grutas, animais de todos os tipos, vegetçaõ exuberante… E melhor ainda: você integrado com tudo isso, como se estivesse numa espécie de Disney ecológica.

Editorial de moda da Revista Capricho no Rio da Prata

A revista Capricho de 31 de Janeiro de 1999 têm três editoriais de moda fotografados em Bonito.

O primeiro, que se chama É Bonito, foi todo fotografado no Rio da Prata Recanto Ecológico. São imagens subaquáticas das modelos com maiôs, roupas e sandálias todos feitos de neoprene. As modelos foram fotografas entre os peixes, o efeito é incrível. O terceiro editorial chamado Topa Tudo, foi todo fotografado na Estância Mimosa, as modelos estão nos decks, nas passarelas e em pedras próximas as cachoeiras, usando roupas leves, de verão.

“Mergulho, rafting, rappel, uma viagem cheia de aventura em Bonito, MS”

“Que Bonito que nada, é maravilhoso!!! Você entra no clima num instante. É só colocar a cabeça debaixo d’água para se sentir no maior aquário do mundo. Só que sem vidro nem aquelas plantas de mentira. Em Bonito tudo é ao vivo, em cores e tem a ver com o nome da cidade.”

Sobre o passeio no Rio da Prata, a revista diz: “O programa de dia inteiro, inclui trilha na mata, descida do rio com equipamento de mergulho seguindo a correnteza, almoço delicioso, daqueles feitos em panela de ferro, e um merecido descanso nas redes de couro no quintal. O Rio da Prata tem a maior variedade de peixes de Bonito e é o lugar ideal para conhecer o mal-encarado dourado, o maior de todos.”

Aquário Tamanho Família! – Revista Terra

Água! 10 viagens para um doce verão entre rios, lagos e cachoeiras!

  1. Bonito

Talvez nenhum outro lugar do Brasil faça jus ao nome como essa cidadezinha do interior do Mato Grosso do Sul. Ao redor de Bonito, de apenas 20.000 habitantes, dispõe-se de uma infinidade de rios cristalinos, grutas com lagos azuis e cachoeiras. Nesse reino de águas claras, o programa mais interessante é o mergulho livre a partir das nascentes dos rios. A nascente do Olho D’Água, por exemplo, dentro do Recanto Ecológico Rio da Prata, é um verdadeiro aquário natural. Não é preciso sequer saber nadar bem. Com máscara e snorkel, basta cair na água e deixar a suave correnteza o levar entre peixes como piraputangas, curimbas e cascudos. Para os leigos, não pode haver mergulho mais simples. Nem mais bonito.

Revista Terra – Janeiro de 1999 edição 81

Bonito – No paraíso das águas – Revista Época

Com rios e lagos cristalinos, Bonito é o destino certo de quem quer curtir um verão ecológico.

Não é à toa que os rios dessa região estão entre os mais piscocos do país – embora, como determinam as leis locais, a pesca esteja proibida em qualquer nascente. Todas essas características garantem um visual subaquático privilegiado: nadar em Bonito é como enfiar-se dentro de um imenso aquário repleto de dourados, piraputangas e curimbas.

Os melhores mergulhos da região são feitos nos Rios da Prata, Sucuri, Baía Bonita e Formosinho. O mergulhador cai na água com máscara e snorkel e deixa a correnteza levá-lo para passear. O uso de roupas de neoprene é obrigatório – ajuda a manter a temperatura do corpo e auxilia na flutuação (não são permitidos grandes mergulhos para não tocar o fundo dos rios e não incomodar os peixes).